OUTRAS PUPAS

Outras pupas

16/07/2015

Como foram lá parar



Era uma vez um rei que queria pescar.

Ele chamou o seu meteorologista e pediu-lhe a previsão do tempo para as próximas horas.
Este  assegurou-lhe que não iria chover.

A noiva do monarca vivia perto de onde ele iria e colocou a roupa mais elegante para acompanhá-lo.

No caminho, ele encontrou um camponês montando o seu burro que viu o rei e disse: 
Majestade, é melhor o senhor regressar ao palácio porque vai chover muito

O rei ficou pensativo e respondeu:
Eu tenho um meteorologista, muito bem pago, que me disse o contrário. Vou seguir em frente e assim fez

Choveu torrencialmente.
O rei ficou encharcado e a noiva riu-se dele ao vê-lo naquele estado.

Furioso, o rei voltou para o palácio e despediu o meteorologista.

Em seguida, convocou o camponês e ofereceu-lhe emprego.
O camponês disse: Senhor, eu não entendo nada disso, mas se as orelhas do meu burro ficam caídas, significa que vai chover.

Então, o rei contratou o burro.

E assim começou o costume de contratar burros para trabalhar junto ao Poder...


Desde então, eis a razão de burros ocuparem as posições mais bem pagas em qualquer governo.


Recebi  do Michael e gostei
2015-07-16




12/07/2015

Tricot



Tricoto a vida
em ponto de gente

com gestos de amor
laças de carinho
como quem faz uma manta
aconchego fofinho

do tic tic das agulhas
escorrem ternuras
alegrias, saudades
algumas agruras

pontos  cheios, pontos vazios
ninhos de vespa, favos de mel
teias, torcidos e embutidos
bicolores que alegria
mas os que mais gosto
são os fantasia

Tricoto silêncios
e ausências também
umas quantas vezes
nem tão poucas assim
uns pontos de raiva
mais uns de chinfrim

Tricoto a vida
Em ponto de gente

 *****
2015-07-12
nn(in)metamorphosis


10/07/2015

Olhares


Há dias, em que me sento sobre as palavras, outros em que as palavras me faltam, e pergunto-me onde as terei perdido. Talvez pelas arestas da vida. 
Há dias, em que me curvo sobre ideias, outros há, em que as ideias desaparecem, como se estivessem escritas num quadro preto e as tivessem apagado.
Mas, em todos os dias eu sei, que a felicidade não se planeia, nem o amor se mendiga. Que o olhar não brilha só porque sim, nem o sorriso se pede. Que se me zango, rio e choro, é simplesmente porque 
sinto, e as palavras e as ideias voltarão, porque estou viva.

      *********
       2015-07-10
nn(in)metamorphosis


06/07/2015

É Verão em mim



Algo me impede de te dizer estas coisas
talvez seja falta de jeito
mas gosto ainda mais de ti no Verão

No Verão 
tens um sabor diferente na boca
um não sei quê de morno nos caracóis
nos olhos oceanos profundos com praias de areia fina e palmeiras 
E o teu corpo… 
o teu corpo cheira a terra, e a fruta madura

E porque te digo tudo isto agora 
será porque é Verão
ou porque estou apaixonada?

*****
2015-07-05
nn(in)metamorphosis